Acesso Restrito
Indique este Site
Seu Nome

Seu Email

Nome do amigo

Email do Amigo



Miomas

Miomas são tumores benignos (não cancerosos) dos músculos do útero. Os miomas são extremamente comuns, sendo estimado que afetam uma em cada cinco mulheres em idade fértil. Aproximadamente 20% das mulheres entre 20-30 anos, 30% entre 30-40 anos e 40% entre 40-50 anos apresentam miomas.

Os miomas podem apresentar variações quanto ao tamanho e crescem lentamente. Não é clara a causa dos miomas, mas sabe-se que seu desenvolvimento depende do hormônio feminino estrógeno se reduzem. A foto exemplica os vários tipos de miomas (submucosos, subserosos e pediculados).


Quais os sintomas?

Os miomas podem não causar nenhum sintoma. Eles podem, por exemplo, se descobertos por acaso durante um exame ginecológico de rotina.

Algumas mulheres, todavia, podem apresentar sangramento excessivo durante a menstruação ou sangramento irregular, fatos que podem levar à anemia. Os miomas de maior tamanho podem pressionar os órgãos à sua volta, como a bexiga ou intestino, provocando sintomas como dificuldade de urinar ou, algumas vezes,necessidade de urinar frequentemente.


Os miomas também podem causar certo desconforto, o que significa desde uma leve dor nas costas até fortes dores em baixo ventre.

A gravidade dos sintomas está relacionada ao tamanho, número e localização dos miomas. Pode haver algumas vezes, uma associação entre miomas e infertilidade (impossibilidade de engravidar). Caso você tenha miomas, deve discutir o tratamento com seu médico antes de engravidar.


Quais as opções de tratamento?

Se os miomas são pequenos e não causam desconforto, seu médico poderá concluir que não necessidade de tratamento, recomendando somente exames de acompanhamento. Caso você esteja grávida, provavelmente seu médico vai prescrever analgésicos e solicitar que seja feito um controle mais cuidadoso durante a gestação.


Para as mulheres que apresentam sintomas como dor ou sangramento menstrual excessivo devido aos miomas, umas das opções é o tratamento hormonal como substância como a progesterona. O organismo quando recebe doses elevadas de progesterona, reage como na gravidez, interrompendo a menstruação. Os efeitos colaterais da progesterona são semelgantes aos sintomas que ocorrem antes da menstruação, como retenção de água (inchaço) e, eventualmente, alteração do humor. Outra opção de tratamento, não invasivo, em casos de miomas pequenos ou sangramnetos aumentados com os miomas é a colocação do DIU DE MIRENA que libera dentro do útero um tipo de progesterona que faz reduzir os sangramentos, melhora a dor e muitas vezes reduz o tamanho do mioma.


As cirurgias

As cirurgias feitas para retirar os miomas são, em geral, a MIOMECTOMIA, que é a retirada do (s) mioma (s) que pode ser através de histeroscopia cirúrgica caso mioma seja submucoso, laparoscopia miomas subserosos ou pediculados ou através da técnica convencional (laparotomia). Já o outro procedimento pode ser a histerectomia (retirada do útero) que pode ser feita via vaginal (minimamente invasiva) associada ou não a laparoscopia cirúrgica ou através da técnica convencional (laparotomia) corte no abdomen.


Para as mulheres mais jovens que queiram manter a capacidade de engravidar, a miomectomia pode ser o procedimento de escolha. Razões psicológicas podem levar as mulheres a decidir por não remover o útero.

Uma vez que o útero ainda permanece intacto existira sempre a possibilidade de surgirem novos miomas.


A histerectomia é, com frequência, recomendada para mulheres mais velhas que já tenham constituído família ou não desejam ter filhos.

Existe uma nova classe de medicamentos conhecida como análagos do LHRH é utilizada como auxílio no preparo da cirurgia com miomas.

Os análagos do LHRH provocam a quase completa interrupção da eliminação de estrógeno pelos ovários.

O resultado disso é que os miomas são dependentes dos estrógenos diminuem de tamanho, o que torna a cirurgia mais simples e rápida.

Além do mais, com a interrupção da menstruação, as mulheres que apresentam sangramento muito intenso têm tempo para se fortalecer e melhorar da anemia, para que estejam em melhores condições para a cirurgia e ocasiona menor sangramento no transoperatório. Entretanto, quando se para de tomar o análago do LHRH os miomas voltam a crescer, por isso indica-se esse tratamento apenas para o período pré-operatório da histeroscopia e laparoscopia cirúrgica para reduzir o tamanho dos miomas reduzindo o sangramento na cirurgia e diminuindo o tempo cirúrgico.


A escolha do tratamento é uma decisão importante que somente pode ser tomada por seu médico juntamente com você. Seu ginecologista deve discutir com você todos os procedimentos a serem feitos.




Dra.Lidia Rosi Medeiros, é médica desde 1985 formada pela FFFCMPA, fez residência médica em ginecologia e obstetrícia no Hospital de Clinicas de Porto Alegre em 1986 e 1987.


Cirurgia ginecológica minimamente invasiva.


O artigos veiculados abaixo são editaveis pelo proprio usuario e não têm limite de páginas. 

Dra. Lidia Rosi Medeiros - Mestre e Doutora em Medicina pela UFRGS
Consultório: Rua Antenor Lemos 57, 6 andar, Menino Deus, Porto Alegre, RS
Telefone: (051) 32316266 ou (051) 32310130

Desenvolvido por ROFBRASIL